4.4.11

Laboncinho de novo e agora com imagens

Esta coisa da net é maravilhosa...
De tempos a tempos alguém "descobre" que Laboncinho está por aqui (também) e é tão bom renovar o sentido de que há lociais como este em que o viver (não é sobreviver) faz sentido!
O grito que me vem de dentro... NUNCA MAIS ME REFORMO PARA IR PARA LÁ CAVAR BATATAS... é uma esperança que me vai ajudando a passar os dias, meses, anos!
Mas nada de lamúrias.
Uma nova parceira - a Teresa - desta sensação boa de se gostar de um sítio que ainda mantém muito de genuíno, falou e voltou a apetecer-me vir aqui ao blog tão esquecido e abandonado!

Fui às minhas fotos muuuuuito antigas (a preto e branco mas que mantêm uma qualidade que as de cores já não têm) que aqui deixo - 2 da aldeia e uma de duas pessoas que adorei e muito admiro (a minha avó e a minha tia-avó) mas que já não estão neste nosso mundo de todos os dias. Como eram bonitas e com presença. Um beijo para vocês onde quer que estejam...

O nevoeiro fica lá em baixo, junto ao rio Paiva, por aqui temos o sol!

Da janela da casa da minha avó lá está o Fojo e uma parcela da aldeia

A minha avó e a minha tia-avó, duas mulheres fortes, lindas, que mantiveram um sorriso perante a vida (que não lhes foi nada fácil)  

4 comentários:

Laboncinho disse...

Estou encantada por rever a sua avó e tia, de quem me lembro. A aldeia agora está muito diferente como pode verificar nas minhas fotos. O facto de alguns habitantes terem imigrado para a suíça e outros...fez com que as casas fossem restauradas e novas casas construídas. Só é pena que não tenham mantido a traça, mas é assim na maioria das aldeias Portuguesas.
Adorei as suas fotos, pois revivi o passado... Ter.

Alice Soares disse...

Olaa, ao ver as fotos da sua avó e da tia Mirandolina, fez-me lembrar os tempos da minha infancia, e a saudade nunca esquecida. Os momentos passados com a minha "avó e a minha tia" ficaram sempre guardados na minha memória e no meu coração. O meu nome é Alice, filha do Lino e da Deolinda. Parabéns pelo blog que está fantástico e um grande beijinho para si e para a sua mãe.

mada disse...

Olá Alice

Lembro-me muito bem de si e do Lino e da Deolinda e a saudade também aperta. Talvez no Verão consiga ir a Laboncinho dar um abraço aos que foram tão bons companheiros dessas 2 pessoas lindas que foram as "nossas" avó e tia.
Um abraço ao Lino (que faz parte das minhas memórias em 1ª mão mas também em 2ª mão pelas histórias da minha mãe)
Tenho a certeza de que nos veremos lá mais para o Verão (do próximo ano)
Um beijo para si também

Alice Soares disse...

Olá Madalena

Gostava imenso de a voltar a rever, uma vez que já passaram muitos anos desde a última vez. Nunca me vou esquecer quando fomos apanhar amoras silvestres.
Espero estar na terra, quando for lá. Os meus pais iam adorar revê-la.

Um grande beijinho Alice.